Notícias

Gatos reconhecem seus nomes, mas optam por ignorá-los

Felinos domésticos distinguem seus apelidos de palavras com sonoridade similar, mostram novas pesquisas

Os gatos são notórios por sua indiferença aos seres humanos: quase todo proprietário irá testemunhar o quão prontamente esses animais nos ignoram quando os chamamos. Mas, de acordo com um estudo publicado na revista Scientific Reports, os gatos domésticos reconhecem seus próprios nomes – mesmo que se afastem quando os ouvirem.

Atsuko Saito, uma cientista comportamental da Universidade de Tóquio, mostrou anteriormente que os gatos podem reconhecer as vozes de seus donos. Em seu último estudo, ela deu um passo adiante, investigando se eles respondem ao ouvir seus nomes. O estudo incluiu 78 gatos de famílias japonesas e um “café-gato”. (Cafés onde os clientes podem interagir com os felinos, que são populares em Tóquio e começaram a se popularizar em Londres e Nova York).

Durante seus experimentos, Saito e seus colegas usaram o que os psicólogos comportamentais chamam de método de habituação-desabituação. Isso envolve a exposição repetida de um sujeito a um estímulo (neste caso, uma palavra falada) até que o sujeito não exiba mais nenhuma reação. Em seguida, o sujeito é presenteado com um estímulo de teste (neste caso, seu nome), e os pesquisadores observam se ele reage. Este passo ajuda a eliminar respostas a estímulos aleatórios.

Para o novo estudo, os cientistas primeiro pediram que os donos repetissem quatro palavras semelhantes aos nomes dos seus animais, até que os gatos se habituassem a essas palavras. Em seguida, os proprietários disseram os nomes reais, e os pesquisadores analisaram se os gatos individuais (nos casos em que viviam entre outros gatos) seriam capazes de distinguir seus apelidos. Os gatos tinham respostas mais pronunciadas aos seus próprios nomes – movendo as orelhas, cara, cauda, ou miando – do que a palavras semelhantes ou a nomes de outros gatos.

Em seguida, os pesquisadores colocavam pessoas desconhecidas para chamarem os gatos pelo nomes, buscando testar se os gatos ainda os reconheciam. Embora suas respostas fossem menos significativas do que quando eram chamados por seus donos, eles ainda pareciam reconhecer seus nomes após terem sido acostumados a outras palavras.

“Este novo estudo mostra claramente que muitos gatos reagem a seus próprios nomes quando são enunciados por seus donos”, diz o biólogo John Bradshaw, que estuda as interações entre humanos e animais no Instituto de Antropologia da Universidade de Bristol e não participou do novo estudo. Mas Bradshaw diz estar menos convencido que os gatos possam reconhecer seus nomes quando falados por alguém desconhecido. “Acho que é perfeitamente possível que alguns gatos sejam capazes de generalizar entre uma voz humana e outra, mas gostaria de ver mais tentativas antes de dizer que as provas são convincentes”, diz ele.

Saito diz acreditar que os felinos aprendem a reconhecer seus nomes devido às contrapartidas que obtém. “Acho que os gatos associavam seus nomes a algumas recompensas ou punições”, diz ela, acrescentando que acha improvável que os gatos entendam que seus nomes estão ligados a eles. “Não há evidências de que os gatos tenham a capacidade de se reconhecer, como nós”, explica ela. “Então, o reconhecimento deles quanto ao seu nome é diferente do nosso.” Ainda assim, ela diz, pode ser possível ensinar os gatos a reconhecer outras palavras. Se isso pode permitir que pessoas treinem gatos para responder a comandos – como os cães fazem prontamente – é outro assunto.

“Os gatos são tão bons quanto os cães no aprendizado”, diz Bradshaw. “Eles só não estão tão interessados ​​em mostrar aos seus proprietários o que aprenderam.” A maioria dos donos de gatos provavelmente concordaria.

Jim Daley