Notícias

Abrigos de símios são prodígios de engenharia

Hábitos de construção de chimpanzés podem dar pistas do que levou o homem a descer das árvores

Uma vez prontos para se aconchegar no topo das árvores, os grandes símios constroem confortáveis abrigos para o descanso noturno. Novos estudos sobre esse local de repouso revelam incrível complexidade.

“Eles são quase tão complexos como um abrigo feito pelo homem”, avalia o pesquisador A. Roland Ennos, da University of Manchester, Reino Unido, à LiveScience. “Eles sabem como a madeira quebrará e têm percepção do quanto o abrigo deve ser forte, o que demonstra que macacos têm inteligência e jeito para a física do ambiente.”

Estes abrigos têm cerca de 1,2-1,5 mde comprimento por pouco menos de1 mde largura.  Os símios os fazem no topo da floresta, a 10-20 mde altura, levam cerca de dez minutos para terminá-los e os usam apenas uma vez. Isso os mantêm aquecidos, seguros e longe de insetos, acima do solo.

No novo estudo, publicado em 16 de abril pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences, pesquisadores estudaram abrigos recentes deixados por orangotangos selvagens na Indonésia. Analisaram tamanho, forma e composição dos abrigos, feitos na parte densamente ramificada de grandes galhos: ramos vivos com cerca de3 cm de largura são dobrados e interligados.

“Eles apenas os dobram; na verdade continuam vivos e, mais tarde, se voltarmos a verificá-los, veremos que são como artefatos arqueológicos, essas coisas dobradas de forma estranha”, elogia Ennos. “É como tecer uma cesta, eles têm que quebrar galhos, tecê-los juntos e formar uma bela estrutura forte e rígida.” Usam até os menores ramos para forrar, tecendo algo semelhante a um colchão com travesseiro.

Estes abrigos complexos são uma espécie de ferramenta para os símios. “Para construí-los, devem ter algum tipo de imagem e percepção do mundo, da força dos ramos e de como eles se comportam”, sustenta Ennos. “As pessoas definem o homem como usuário e mestre de ferramentas, mas o abrigo do orangotango é realmente uma ferramenta complicada para dormir.”

,

Abrigos de chimpanzés

Outros grandes símios também fazem abrigos complexos, como os chimpanzés e os bonobos. Outro estudo recente, publicado em 28 de março no American Journal of Physical Anthropology, analisou os hábitos de construção de chimpanzés do oeste africano.                                                               

Pesquisadores viram chimpanzés construir abrigos muito semelhantes aos dos orangotangos, embora às vezes preferissem fazê-los no chão. Para descobrir o que levou os chimpanzés a dormir no chão em vez de no topo das árvores, aparentemente mais seguro e longe de predadores, os cientistas coletaram informações sobre as áreas onde eram encontrados abrigos, no solo e nas árvores.

O hábito de construção do chimpanzé poderia fornecer pistas do que levou os seres humanos a descer das árvores. Pesquisadores sugeriram que, talvez, a falta de árvores em diferentes habitats teria levado o homem a construir abrigos no chão. O novo estudo não encontrou evidências de que os chimpanzés se assentam no solo por ausência de árvores. (Pesquisas anteriores,  publicadas em 2011 no American Journal of Physical Anthropology, descobriram que abrigos de chimpanzés feitos em árvores eram mais eficientes para evitar insetos e mais quentes que dormir no chão.)

“Isto sugere que nossos ancestrais diretos não eram a única nem a primeira espécie a descer das árvores”, declarouem comunicado Katherlijne Koops, pesquisadora da University of Cambridge.  “Este fato é intrigante, pois há muito se acreditava que descer das árvores foi uma mudança crucial na evolução.”